domingo, 28 de fevereiro de 2016

Sobre o Dr. Bach e a origem de seus remédios







Em muitos dos meus atendimentos oraculares e terapêuticos indico como tratamento os remédios Florais do Dr. Edward Bach, então, vou falar um pouco sobre eles para os que ainda não conhecem e também para os que já utilizam esta técnica eficaz de reequilíbrio energético e cura.
Edward Bach foi um médico nascido em 1886 em uma pequena cidade perto de Birmingham, na Inglaterra, onde estudou medicina e se especializou em bacteriologia, imunologia e saúde pública.  Durante a I Guerra Mundial, cuidou de centenas de feridos e começou a observar que o mesmo tratamento aplicado a pessoas diferentes com a mesma doença nem sempre curava e que pacientes com o temperamento similar melhoravam com o mesmo medicamento.
Em 1917 foi diagnosticado com uma doença incurável; foi operado, mas mesmo assim, os médicos lhe deram três meses de vida. Ele abandonou o hospital em que trabalhava e passou a fazer suas pesquisas sozinho em seu laboratório, onde trabalhava dia e noite. Após um curto período, ele percebeu que estava curado e isto o fez concluir que o estado emocional da pessoa, focada em um objetivo, com um grande amor por algo e um propósito definido são fundamentais para a saúde e a felicidade das pessoas.
Em 1919, passou a trabalhar como patologista e bacteriologista no Hospital Homeopático de Londres. Aprofundou seus estudos sobre o método de Hahnemann, o fundador da homeopatia, e criou vacinas orais eficazes através desta metodologia.
Em 1929, aos 43 anos, respeitado tanto por alopatas quanto por homeopatas em toda a Europa, decidiu-se mudar para o campo e pesquisar novos remédios. Foi quando, entre 1930 e 1934, descobriu os 38 remédios florais e fundamentou sua nova medicina. Voltou à cidade grande, testou seus métodos e remédios e deu por concluída sua tarefa em 1936; poucas semanas depois, faleceu, tendo sobrevivido por quase 20 anos a mais do que fora previsto pelos médicos.
Seus remédios florais podem ser usados concomitantemente a outros tratamentos e não provocam efeitos colaterais. São reconhecidos e recomendados pela Organização Mundial de Saúde como remédios complementares à medicina alopática.
Utilizo-me deles para mim mesma e também para os clientes há mais de 25 anos, sempre com excelentes resultados em curtíssimo espaço de tempo, desde que bem indicados a cada caso, pois a premissa básica é trate o doente e não a doença, cure a causa e não os sintomas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário